segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Aspectos negativos do alimento orgânico

A comida orgânica e a convencional precisam estar de acordo com os mesmos padrões de qualidade e segurança. Não existem evidências científicas que sugiram que o alimento orgânico seja mais nutritivo ou seguro do que o convencional.

Além do preço mais alto, há duas críticas principais contra a comida orgânica. Primeiro, algumas pessoas argumentam que comer tais produtos aumenta a sua exposição a contaminadores biológicos, aumentando o risco de doenças causadas pela comida. As preocupações são, principalmente, com:
> estrume: embora o estrume seja bem conhecido como feses dos humanos, quando ele é adequadamente tratado, é seguro e eficaz. Além disso, os fazendeiros orgânicos têm a restrição de usar estrume sem tratamento nos 60 dias, antes da colheita de uma plantação, e eles são fiscalizados a fim de garantir que estejam de acordo com estes padrões e restrições;
> microtoxinas do bolor: não é permitido usar fungicidas na produção e processamento das comidas orgânicas. De qualquer forma, estudos mostram que o consumo de produtos orgânicos levam a um maior risco de contaminação pelas microtoxinas;

A segunda crítica contra a agricultura orgânica é a de que os fazendeiros orgânicos não conseguem produzir o bastante para alimentar a todos. Irá condenar milhões de pessoas no mundo à fome, desnutrição e morte devido à falta de comida, porque:
> a safra (a colheita total por unidade de área) da agricultura orgânica é menor do que a convencional;
> a agricultura orgânica não é econômica nem socialmente viável nos países mais pobres.

Um comentário:

Fernαnda Medeiros disse...

Obrigada por um artigo belíssimo! Me ajudará muito!